top of page

Por que sonhamos? Os sonhos afetam o meu sono?

Atualizado: 27 de fev. de 2023



Você é daqueles que sonham todas as noites ou raramente lembram dos seus sonhos? Tem pesadelos? Quando tem, acorda com uma sensação de que não descansou bem?


Apesar de fazer parte do cotidiano, a interessante experiência de sonhar é uma das mais misteriosas que experimentamos na vida. Além dos aspectos fisiológicos, também quero compartilhar com você o lado psicológico dos sonhos.


Quando sonhamos, estamos aprendendo coisas


Enquanto dormimos, ocorre uma mudança na atividade cerebral. Agora ela passa a trabalhar por outra finalidade, como a consolidação da memória.


Já prestou atenção que geralmente aprendemos mais sobre as coisas que gostamos e nos divertimos enquanto fazemos?


Durante o sono, nosso cérebro seleciona quais informações do nosso dia precisam ser mantidas e quais são irrelevantes para serem descartadas. Esse processo se baseia na questão emocional: tudo que for ligado a emoções boas ou ruins tem mais chances de ficar gravado em nossa memória.


Sonhamos em todas as fases do sono


Enquanto dormimos, nosso sono passa pelas fases que compõem o ciclo do sono e começam desde o momento em que a pessoa adormece e vão progredindo, tornando-se cada vez mais profundas até chegar a fase REM e, mesmo que seja difícil lembrar, sonhamos durante todas elas.


Na fase inicial do sono, ainda estamos adormecendo. Portanto, tendemos a imaginar situações da nossa realidade.


Na segunda fase, os sonhos são menos visuais e mais emotivos, tem a ver com o que vivenciamos durante o dia.


Na fase 3, já entramos em sono profundo e pouco lembramos dos sonhos e eles costumam ser mais confusos.


Durante o sono REM, temos os sonhos mais mirabolantes. Isso acontece por ser o momento em que o nosso corpo se prepara para acordar – para entender melhor esse mecanismo, leia o texto que conto como funcionam as fases do sono –, é quando a memória e a criatividade estão ativas, mas a razão não.


O lado oculto e os símbolos


Freud explica duas facetas do sonho. A primeira é que, enquanto sonhamos, são mostrados os nossos desejos reprimidos, como se fosse uma maneira de realizá-los longe dos olhos da moral.


A outra é que nossos sonhos estão ligados à memória recente, o que vivemos durante o dia, os lugares que passamos, as notícias que vimos e os momentos que tivemos. É como se o nosso cérebro misturasse todas essas referências e formasse um filme noturno.


Já Jung apresenta outros aspectos, aqui é importante analisar os símbolos. Nesse caso, o símbolo é qualquer elemento que pode significar algo para o sonhador. Essa análise leva em consideração toda a composição do indivíduo, sua personalidade e outros elementos de sua formação, por isso tende a ser mais subjetiva.


Outro elemento exposto pelo pai da psicologia analítica é o fator de compensação. Os nossos sonhos têm inclinação a serem o oposto da realidade, para causar a sensação de equilíbrio.


Quando os sonhos atrapalham a sua qualidade de sono, o que fazer?


Os sonhos são uma parte do processo do sono, por isso devem ser incorporados a ele de maneira natural. Porém, algumas pessoas percebem que ficam mais cansadas e acordam muitas vezes durante a noite justamente por sonharem várias vezes.


Isso acontece porque, na fase de sono REM, estamos em um estado comportamental do sono no qual o corpo paralisa, mas nossa atividade mental cresce como se estivéssemos acordados.


Se o excesso de sonhos fragmenta seu sono e faz que você acorde com essa sensação de que não descansou o suficiente enquanto dormia, é importante investigar os fatores que levaram a isso.


Podem ser problemas orgânicos, como o excesso de fase REM, ou mesmo psicológicos, ligados à ansiedade, depressão, estresse, etc.


É importantíssimo que você consiga compreender que o sonho é só um sonho. Se a dificuldade para voltar a dormir persistir, procure ajuda - dentro de si, na palavra de Deus ou em um consultório psicológico.


Para isso, é recomendado que você mantenha um pequeno caderno ao lado da cama para que você anote seus sonhos. Assim, você pode analisar a simbologia, sozinho ou com a ajuda de um psicólogo, relacioná-las com sua realidade e compreender as questões que estão levando esses sonhos a atrapalharem as suas noites.


Vale ressaltar a importância da higiene do sono. Com uma mudança nos hábitos, é possível tornar o momento de dormir mais agradável. Sugiro o uso de aromas agradáveis, pode ser velas, incensos ou mesmo utilizar um creme cheiroso para fazer essa conexão consigo mesmo antes de deitar, trabalhando a respiração e preparando a mente para uma noite de sono revigorante.



Se sente que seu sono está desregulado ou está com dificuldades, eu criei um e-book chamado "Manual do Sono" para te ajudar a poder identificar o distúrbio do seu sono e qual o tratamento ideal SEM MEDICAMENTOS.



CLIQUE AQUI para agendar seu PRIMEIRO ATENDIMENTO GRÁTIS pelo WhatsApp, nos conhecermos e conseguirmos juntos melhorar sua qualidade de vida.

26 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page